Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Lisboa

domingo, 28 de dezembro de 2008

A diferença (im)possível

Tanta gente que queria ser diferente…

Tanta gente que gostava de sentir o que não sente e de não sentir o que sente…
Tanta gente que gostava de não ser tão desconfiada, de acreditar mais nos outros e ser capaz de se expor, de se entregar e criar laços…
Tanta gente que gostava de ser mais útil, de servir mais e melhor, de ajudar mais os que mais precisam, de fazer os outros um pouco mais felizes...
Tanta gente que gostava de não desistir, de ter mais força para se levantar, e reagir, e lutar contra a maré…

Tanta gente que queria ser diferente…
E que sente isso com mais força neste tempo do Natal que nos fala de sonhos mas também nos faz tropeçar nos nossos limites e na consciência dolorosa do que não somos…

Para todos os que ainda nos sentimos assim,
para todos os que ainda não deixaram que a indiferença se apoderasse totalmente do seu coração, o Natal é a Boa Nova de que “o que é impossível aos homens”, apesar de sonhado e profundamente desejado, “é possível a Deus”.
A atestá-lo aí está este Menino que nos foi dado e que, se nós quisermos e deixarmos, pode fazer acontecer o milagre de mudar totalmente o nosso coração…

E os novos céus e a nova terra começarão a ser já para nós uma realidade bem presente, ainda que de forma escondida, neste mundo que parece continuar na mesma, apesar do Natal…
Para quem vive o Natal, o mundo passa a ser diferente.
Mesmo que não o veja.
E é por isso que há sempre uma porta aberta à alegria e à esperança, por mais negros que sejam os horizontes do ambiente em que vivemos mergulhados!...

Pe Luís Alberto

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial